Com os avanços da medicina e a relativa melhoria da qualidade de vida, a longevidade das pessoas atinge níveis cada vez maiores. Os hábitos adotados por cada indivíduo são os principais responsáveis para a garantia da saúde e de uma vida longa.

Por falar em qualidade de vida, é interessante observar que a pessoa pode ser longeva, mas viver com a saúde debilitada. É por isso que nos próximos parágrafos apontamos alguns fatores que contribuem não apenas para aumentar a longevidade, mas também garantir a qualidade de vida. Confira!

Alimentação

Um dos maiores problemas que afetam a longevidade das pessoas diz respeito aos seus hábitos alimentares. Por falta de tempo e praticidade muitos optam por alimentos industrializados. Isso, que em um primeiro momento pode representar algo bom, se revela prejudicial no longo prazo. Gorduras, embutidos e doces contribuem para o aumento da produção de radicais livres. Além disso, ainda temos uma infinidade de doenças agregadas à má alimentação.

Comer bem não tem mistério. Frutas, alimentos frescos, pouco sal e pouco açúcar são os principais pontos-chave.

E por falar em comida, especialistas advertem que a partir dos 30 anos as funções biológicas entram em linha descendente. Isso quer dizer que o corpo já não precisa de tantas calorias para sua manutenção. Logo, a recomendação é comer moderadamente em períodos de três em três horas.

Sono

Não basta apenas dormir e sim dormir bem. A medicina recomenda que a média diária de horas de sono fique entre seis e oito horas para pessoas adultas.

Emoções

De acordo com um artigo publicado no Journal of Clinical Psychology (Inglaterra), as pessoas com o hábito de manifestarem suas emoções por meio de algum tipo de atividade artística como pintura, escrita, dança e canto têm a tendência a viver mais e mais saudáveis quando comparadas com quem esconde suas emoções.

Café

O Instituto Nacional do Câncer dos Estados Unidos realizou um estudo por meio do qual foi comprovado que o consumo de três xícaras de café por dia ajuda a prolongar a vida. Entre as doenças que foram relacionadas, tendo o café como agente de prevenção, estão o derrame e o câncer de pele.

Atividades físicas

Praticar atividades físicas, assim como manter uma alimentação saudável, são coisas que todos nós já sabemos. Evitar o sedentarismo é extremamente importante para prevenir o aparecimento de doenças relacionadas à idade. Um estudo realizado na Dinamarca apontou que uma simples corrida contribui para aumentar a longevidade em cerca de seis anos.

Compostos naturais

Há uma infinidade de compostos que podem ser associados à rotina alimentar de qualquer pessoa. Por exemplo, o Resveratrol. Estudos apontaram que esse polifenol ajuda a aumentar os níveis do colesterol HDL, uma vez que favorece a sua produção pelo fígado. Além disso, ele contribui para uma significativa redução do temido LDL. Com isso, temos um agente preventivo em relação às doenças cardiovasculares.

Peixe

A Universidade de Harvard constatou em um estudo que pessoas com mais de 60 anos devem incluir peixe no cardápio. O motivo é simples de acordo com o estudo: quem tinha mais nível de ômega-3 no organismo vivia mais do que aquelas pessoas que não consumiam esse nutriente. De acordo com os pesquisadores responsáveis pela pesquisa, duas porções por semana são suficientes para garantir uma maior longevidade.

Apoio social

Esse é um aspecto sempre presente entre os povos que apresentam os maiores níveis de longevidade. Quando falamos sobre apoio social, estamos tratando da proximidade com familiares e amigos, atividades voluntárias, participação de grupos de apoio, na comunidade, em eventos diversos e causas sociais. Além de fazer com que a pessoa se mantenha ativa, o cérebro continua se mantendo em um fluxo de atividade interessante para a saúde mental.

Hábitos saudáveis na velhice

Muitas pessoas mantiveram uma vida ativa por anos. Mas, abandonaram tal hábito com a chegada da terceira idade. O problema é que o corpo humano é uma máquina. Se não for bem cuidada, se não houver manutenção, ela travará e quebrará. Criar uma rotina que seja adequada ao perfil pessoal é fundamental para manter a longevidade e a qualidade de vida. Aliás, esse aspecto se aplica também às pessoas que sofrem com algum tipo de doença crônica.

Desapego e equilíbrio

Pesquisas revelam que pessoas que exercitam o desapego, que vivem menos ansiosas e obcecadas com as coisas, mantêm uma saúde melhor. Um termo muito recorrente é a palavra equilíbrio. Ela é usada em todos os sentidos, da alimentação até a vida emocional.

Para ter longevidade e qualidade basta que a pessoa agregue à sua vida hábitos simples e práticos como os citados. Por fim, é importante manter uma rotina de visitas ao médico. No caso de uma eventual doença o tratamento será mais efetivo, uma vez que foi descoberta ainda no início.